Berlin 00:00:00 London 00:00:00 New York 00:00:00 Chicago 00:00:00 Los Angeles 00:00:00 Shanghai 00:00:00
members login here
Region
Country / State
City
Genre
Artist
Exhibition

Galeria Filomena Soares presents MIGUEL RIO BRANCO | De Tóquio para Out of Nowhere

Archive | Information & News


26 May 2016 to 10 Sept 2016

Galeria Filomena Soares
Rua da Manutenção – 80
1900-321
Lisbon
Portugal
Europe
T: +351 218624122
F: +351 218624124
M:
W: www.gfilomenasoares.com











Miguel Rio Branco
De Tóquio para Out of Nowhere
2016-05-26 | 2016-09-10


Artists in this exhibition: Miguel Rio Branco


Miguel Rio Branco
De Tóquio para Out of Nowhere

2016-05-26 | 2016-09-10 

A Galeria Filomena Soares tem o prazer de apresentar, pela primeira vez no seu espaço, o consagrado artista brasileiro MIGUEL RIO BRANCO (1946, Brasil). A inauguração da exposição intitulada De Tóquio para Out of Nowhere irá decorrer no dia 26 de maio pelas 10h30, inserida no programa de colecionadores da feira de arte ARCO_Lisboa 2016, com a presença do artista. A exposição estará patente até o dia 10 de setembro de 2016.

A exposição irá apresentar 2 projectos centrais no percurso do artista: Tóquio (2008) e Out of Nowhere (1994-2016).

Out of Nowhere foi apresentada pela primeira vez na 5.ª Bienal de Havana (1994), é composta por imagens coladas em panos pretos, costurados entre si e por espelhos antigos utilizados nas populares academias de boxe em Cuba. As fotografias retratam pessoas marginais e os recortes proveem do jornal nova-iorquino Police Gazette, dos anos 20, como um elemento norte-americano que proporcionava uma viagem ao passado de Havana antes de Fidel. A obra também recupera fotografias de filmes, como "A bela e a fera" de Jean Cocteau e outros momentos na obra do artista, mas sempre relacionados com o corpo e o tempo. Os espelhos antigos encostados às paredes, reverberam de um lado a outro o conjunto dos acontecimentos e o próprio espaço real, onde se encontram e onde estamos. Para completar, lâmpadas de luz incandescente de baixa intensidade caem do tecto em alguns pontos, criando uma atmosfera obscura, e uma trilha sonora envolve o ambiente com músicas das décadas de 1920 e 1930, nomeadamente a canção Out of Nowhere, que origina o título da obra.

Ao longo de mais de 20 anos Out of Nowhere tem sofrido alterações e contaminações consoante o lugar em que é apresentada, nomeadamente: Ludwig Forum, Achen, Alemanha (1994); IFA Galerie Stuttgart, Alemanha (1995); Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Brasil (1996); Bienal da Fotografia de Curitiba, Brasil (1996); Fotografie Forum, Frankfurt, Alemanha (1996); Fundació La Caixa, Espanha (1999); Maison Europénne de la Photo, Paris, França (2005); Groninger Museum, Holanda (2006); Kulturhuset, Estocolmo, Suécia (2011); e Santander Cultural, Porto Alegre, Brasil (2012).

Segundo Lígia Canongia: "Out of nowhere configura-se como um atlas, que mapeia inúmeros lugares deslocados de sua origem, associados em combinações por vezes díspares e por outras nucleares, recortados e rearranjados repetida e fragmentariamente, sem causa ou finalidade. Em visada mais atenta, porém, o trabalho surge como um caleidoscópio retrospectivo das imagens e das questões da própria obra de Miguel Rio Branco, numa recuperação global de seu olhar e de seus interesses, ainda que captada por estilhaços espaciais e memoriais. No trabalho, aparecem fotografias da série feita com os moradores e as prostitutas do antigo Pelourinho, na Bahia; fotos da série dos boxeadores da Academia Santa Rosa, na Lapa, Rio de Janeiro, e imagens tomadas esparsamente ao longo dos anos, em uma síntese da produção, que entrelaça tempos diversos e faz seu cruzamento num único e mesmo espaço. A obra, portanto, surge como um condensador, que reduz e canaliza um enorme repertório em novas e imprevistas associações, aglutinando a memória do passado, sua atualização revigorada no presente e sua posteridade. A obra, afinal, como um condensador das próprias questões da fotografia."

O projecto Tóquio (2008) foi realizado nesta cidade japonesa como parte integrante das comemorações dos 100 anos da migração para o Brasil, nomeadamente para São Paulo. Este convite partiu do adido cultural brasileiro Marco António Nakata e estendeu-se ao fotógrafo japonês Daido Moriyama para fotografar a cidade brasileira. O projecto de ambos foi apresentado pela primeira vez no Museu de Arte Contemporânea de Tóquio em 2008.


GALERIA FILOMENA SOARES

Rua da Manutenção - 80
1900-321 Lisboa | Portugal
T. +351 218624122/3
F. +351 218624124
gfilomenasoares@mail.telepac.pt
www.gfilomenasoares.com


www.gfilomenasoares.com






SIGN UP FOR NEWSLETTERS
Follow on Twitter

Click on the map to search the directory

USA and Canada Central America South America Western Europe Eastern Europe Asia Australasia Middle East Africa
SIGN UP for ARTIST MEMBERSHIP SIGN UP for GALLERY MEMBERSHIP